Vitamina K – Benefícios, Onde Encontrar e Quanto Consumir por Dia





Confira aqui os benefícios e quanto consumir de Vitamina K por dia.

Sendo extremante importante para a ativação de proteínas que atuam na coagulação sanguínea, a vitamina K também atua na fixação do cálcio no organismo. Sendo assim, ela é o que chamamos de nutriente lipossolúvel, e contribui muito para os ossos e a saúde do coração.

A vitamina K já foi estudada e em um recente periódico publicado na Proceedings of National Academy e foi reconhecido como um dos nutrientes que mais ajudam a promover a saúde para a 3ª idade, e a prolongar ainda mais a vida do ser humano.




Quais os tipos de Vitamina K?

Assim como algumas outras vitaminas, ela também é subdivida em subgrupos, são elas:

  • A Vitamina K 1 (filoquinona): presente na couve, nos brócolis, em vegetais verdes, alface e aspargos.
  • Vitamina K 2 (Menaquinona): é produzida dentro do intestino, pelas bactérias saudáveis e também pode ser encontrada nos alimentos de origem animal como leite, por exemplo, e produtos fermentados.
  • Vitamina K 3 (menadiona): é a fabricação sintética da vitamina K.

Segundo nutricionistas, a vitamina K2 é a que está mais biodisponível e bioativa, pode ser absorvida com mais facilidade pelo organismo e dura mais tempo na corrente sanguínea. Por isso, é a que proporciona mais benefícios para a saúde.


Auxilia a coagulação

A vitamina K possui importantes papéis dentro do organismo, um deles é o auxílio que ela proporciona para a coagulação sanguínea. A vitamina é essencial para a síntese hepática das proteínas que se envolvem nesse processo de estancamento, que são os próprios ativos da coagulação e a protrombina.

Outro real fator do corpo humano que a vitamina k melhora é sobre o depósito de cálcio. Tal nutriente é fundamental para fixar o mineral nos ossos, assim como também, ele impede que a calcificação aconteça na corrente sanguínea, protegendo com isso o coração.

Quanto é preciso consumir?

De acordo com a entidade americana Food and Nutrition Board, a recomendação feita é:

  • Homens com mais de 19 anos = 120 mcg de vitamina K
  • Mulheres com mais de 19 anos = 90 mcg de vitamina K

Para o Ministério da saúde, o recomendado é consumir cerca de 65 mcg de vitamina K todos os dias, independente do seu gênero. A grande diferença entre essas duas recomendações é que o brasileiro possui necessidades diferentes e essa quantidade recomendada pelo órgão brasileiro foca mais nisso.

Como o nutriente está presente em diversos alimentos de grupos diferenciados, manter uma alimentação equilibrada não te obriga a consumir somente um tipo de grupo para aumentar a quantidade de vitamina. É possível atingir o nível ideal diariamente variando a alimentação o quanto for necessário.

Suplementação

A deficiência de vitamina K é bastante rara, mas quando acontece, hemorragias e sangramentos podem ocorrer e são o primeiro sinal da falta dela no organismo. A absorção da vitamina é feita lá no intestino, e por isso, ela se envolve por todo o sistema gastrointestinal, que pode vir a prejudicar a sua retenção.

Algumas doenças como a síndrome do colon irritável, ou a doença de Chron, e até o uso exagerado de antibióticos, podem requerer uma suplementação para reforçar a absorção do nutriente no organismo.

Alguns recém-nascidos também podem apresentar essa deficiência, e podem sofrer com sangramentos. Para evitar que isso aconteça, o Ministério da Saúde recomenda uma injeção da vitamina K logo após o parto. Mas é válido ressaltar que somente um médico especialista pode diagnosticar essa situação, e o exame clínico deve ser feito para fechar o quadro.

A suplementação não deve ser feita sem a supervisão de um médico ou nutricionista responsável. Pois o excesso de vitamina K também oferece riscos à saúde.

Por: Susan Nogart



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *