Tomar Café pode Ajudar a Perder Peso





Pesquisa revela que o café pode estimular a perda de peso.

Gosta e aprecia um bom café? Então essa é uma boa notícia para você. Isso porque um estudo recente realizado por cientistas na Inglaterra, na Universidade de Nottingham, e publicado recentemente no periódico ‘Scientific Reports’, indica que existe uma gordura em nosso corpo que não é prejudicial em grandes quantidades e que pode ser estimulada com o consumo do café. Sendo assim, beber a iguaria pode ajudar que a gordura entre em ação, colaborando na perda de peso e no combate à obesidade. E para chegar a essa conclusão, o estudo fez uma análise dos efeitos de apenas um copo na gordura marrom dos humanos, um tipo de tecido descoberto apenas recentemente e que é diferente daquela gordura branca, sendo o inverso à proporção do peso. Com isso, as pessoas que possuem obesidade não apresentam a quantidade de gordura marrom no corpo, bem como as magras.

Outra diferença da gordura branca (que é encontrada em todo o corpo e funciona armazenando energia) para a gordura marrom é que ela queima as calorias, estando em camadas muito mais profundas na região do coração e do pescoço. A gordura marrom também tem um importante papel no controle de toda a temperatura corporal, aumentando a atividade em dias frios e esquentando o corpo.




Essa conclusão foi tirada já que a sua presença é maior na termorregulação em bebês que necessitam se adaptar às mais diferentes temperaturas no ambiente intrauterino e em mamíferos que hibernam.

Tratamento na obesidade? Apesar de ser tratado como uma das maiores descobertas no que diz respeito aos tratamentos da obesidade, ainda é muito difícil dizer que o café precisa ser levado em consideração para a produção de um medicamento nesse sentido. Isso acontece pela dificuldade, no momento, em contornar os efeitos colaterais do mesmo, como, por exemplo, o seu consumo e o aumento de frequência cardíaca. Porém, na pesquisa publicada na ‘Scientific Reports’, o papel da cafeína foi testado em duas frentes: uma delas foi colocando certa dose em contato com as células in vitro. Já a outra envolveu nove voluntários que receberam, cada um, um sache de 1,8 grama de café instantâneo e dissolvido na quantidade de 200 ml de água. Feito isso, observou-se as alterações do corpo através de exames em imagens. O que se observou foi que as células apresentaram uma atividade metabólica maior, na abundância de proteínas e no consumo de oxigênio. Já nas pessoas, notou-se um aumento de temperatura na região do pescoço. Para os pesquisadores, isso é um sinal claro do aumento da atividade na região, coincidindo com a presença de gordura marrom.


A conclusão que os resultados demonstraram é que a cafeína estimula as funções dessa gordura marrom, sendo considerada um grande potencial para o tratamento futuro da obesidade. Apesar de já existirem estudos que associam o consumo de café à perda de peso, essa é a primeira pesquisa que determina melhor os efeitos estimulantes da cafeína observados in vitro.

O que se percebe, portanto, é que os pesquisadores têm apostado em compostos naturais e nos alimentos para o estímulo da gordura marrom. Porém, ainda é necessário analisar alguns fatores, como, por exemplo, o fator de quantidades a serem ingeridas para o impacto em tratamentos de obesidade.

Sabe-se que um dos grandes estímulos à gordura marrom é relacionado ao frio, já que ela foi descrita inicialmente em trabalhadores que viviam e atuavam nas áreas externas dos países escandinavos. Notou-se, portanto, que eles apresentavam volume maior do tecido no seu pescoço. Outro dado apresentado é que pessoas com diabetes e mais velhas apresentam uma quantidade menor da gordura marrom. Por isso, é importante ficar ligado no que virá em termos de descobertas nesse sentido. Vale lembrar que o consumo excessivo do café também possui contraindicações, podendo ser considerado prejudicial à saúde.

Kellen Kunz



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *