Nariz Entupido – Alimentos que Combatem a Congestão Nasal





Confira aqui dicas de alimentos que ajudam no combate a congestão nasal.

Um sintoma corriqueiro, decorrente de alergias alimentares, gripes, resfriados, rinite e sinusite é a congestão nasal, também conhecida por nariz entupido. A congestão surge como com o inchaço da mucosa nasal, que resulta na obstrução do nariz.

A exposição à poluição, as mudanças climáticas repentinas e os traumatismos, considerados fatores externos, também podem provocar o entupimento do nariz. Em alguns casos as alterações anatômicas do nariz, bem como o desvio de septo resultam na obstrução nasal, que normalmente é acompanhada pelo acúmulo de muco, dificultando a respiração.




A congestão nasal pode ser momentânea, que acontece na maior parte das ocorrências, ou pode perdurar por dias ou semanas, levando sua vítima à convivência com muita dor facial, secreção em excesso, febre e até sangramento. Diante destes sintomas é importante procurar atendimento médico para identificar se é um caso de maior gravidade e que exige um tratamento específico.

Alimentos adequados podem se tornar grandes estimuladores no processo de amenização dos sintomas da congestão nasal, contribuindo para o descongestionamento das vias aéreas. Porém, alimentos inadequados podem resultar na vasodilatação, aumentando a produção de muco, coceiras, espirros e falta de ar, tornado a situação ainda pior. E como forma de auxiliar no controle da congestão nasal vamos listar os alimentos que podem melhorar ou piorar este sintoma. Esta lista conta com a indicação dos especialistas em otorrinolaringologia Hugo Fraga Barbosa Leite, Marcelo Mello, Karla Palma Portes e Clarice Naya Loures.


Alimentos que podem ajudar na diminuição da congestão nasal

Os flavonóides são substâncias com efeito anti-inflamatório e emoliente, auxiliando no amolecimento das mucosas e na diminuição da sensação de entupimento das narinas. Castanhas e sementes de linhaça contam com essas substâncias, logo devem ser consumidas com frequência.

O aminoácido cisteína, outra substância anti-inflamatória, é encontrada na canja de galinha, que também auxilia na aceleração da fluidificação do muco nasal, diminuindo a congestão.

Também contribuem para redução da congestão o vapor das sopas e suas alta temperaturas, atuando também na umidificação da mucosa, provocando uma resposta fisiológica do seu corpo e descongestionando o nariz.

Alho e cebola, que são usados com maior frequência como temperos, são importantes aliados no combate à congestão nasal. Eles possuem substâncias que neutralizam infecções bacterianas, fungos e vírus. O responsável por essa ação é a alicina, componente que dilui o muco e atua na redução da inflamação da cavidade nasal.

A bromelina, substância presente no abacaxi, reduz a inflamação presente nas vias nasais e ajuda a diminuir a congestão. O abacaxi também é rico em água, que auxilia a hidratação do corpo, e em vitamina C, que atua no combate às inflamações. Fique atento pois o miolo do abacaxi é a região desta fruta onde a bromelina está mais concentrada.

Ao consumir gengibre, os sintomas da congestão podem ser reduzidos por conta de seus efeitos descongestionantes, ajudando na limpeza das vias respiratórias. As substâncias anti-inflamatórias presentes no gengibre também contribuem para o combate à resfriados e gripes.

Alimentos que devem ser evitado

As bebidas alcoólicas causam vasodilatação e obstrução. Com a presença de muitos vasos sanguíneos na composição da mucosa nasal, o ar se aquece, já que essa é a principal função desses vasos. Se houver vasodilatação, principal efeito do consumo de álcool, o nariz fica entupido. Além disso, algumas pessoas são alérgicas a alguns componentes presentes nas bebidas, o que pode aumentar o desconforto nasal.

O consumo de alimentos industrializados, como fast-food, embutidos e enlatados pode agravar ainda mais a situação devido a presença de corantes, conservantes, nitritos e sulfitos. Estes elementos possuem efeito negativo em pessoas com quadros alérgicos ou problemas respiratórios. Por isso recomenda-se evitar o consumo deste tipo de alimentação, mas se não for possível evitar, procure consumir com moderação.

Luis Fernando Bernardo



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *