Você já usou óleo de canola na sua dieta de hoje? 

Se a resposta for sim, parabéns. Você pode estar dando um passo gigante rumo a uma vida mais saudável e livre de câncer, pelo menos é o que diz a revista especializada Cancer Prevention Research, que realizou um estudo mostrando que duas formas da Vitamina E podem ter propriedades anti-cancerígenas.

Segundo a pesquisa, os chamados gama-tocoferóis e delta-tocoferóis, ambos encontrados em óleos vegetais como o óleo de soja, óleo de canola e em alimentos como o milho e seus derivados são muito bons no combate e prevenção do câncer. 

Mas atenção, não são todas as formas da Vitamina E que são benéficas! Segundo o Dr. Chung S. Yang, diretor do Centro de Pesquisas para a Prevenção do Câncer em Rutgers, Nova Jersey, uma das formas da Vitamina E conhecida como alfa-tocoferol não possui o mesmo benefício, podendo ter o efeito exatamente contrário e causar câncer de próstata.

O Dr. Yang alerta ainda que não há motivos para a preocupação, visto que essas moléculas potencialmente cancerígenas são mais encontradas em suplementos de Vitamina E e não possuem qualquer relação com as outras duas formas já citadas.

Por Ebenezer Carvalho


As vitaminas têm importantes funções para manter uma aparência saudável. Queda de cabelo, pele sem viço e unhas quebradiças podem ser sinal de ausência de alguma delas. As insuficiências vitamínicas podem levar tempo para serem detectadas no organismo, já que sua perda é lenta e progressiva, por isso é importante estar sempre atento ao que se come e fazer exames de rotina para que qualquer reposição possa ser feita imediatamente.

As vitaminas A e E, por exemplo, agem diretamente na saúde da pele, dos cabelos e das unhas. A vitamina A pode ser encontrada tanto em alimentos de origem animal quanto vegetal e entre as fontes estão o fígado, a cenoura, vegetais verde escuro, ovos e leite.

A vitamina E retarda o envelhecimento celular e está presente no gérmen de trigo, em nozes, couve, espinafre, trigo integral, ovos e óleos vegetais. Vale lembrar que o excesso é tão prejudicial quanto a falta de vitaminas, portanto nunca se deve exagerar nas quantidades.

Por Rosane Tesch





CONTINUE NAVEGANDO: