O excesso de sal na alimentação pode provocar aumento da pressão alta e causar danos aos rins. Sempre que possível, tente consumí-lo em menor proporção, e evite ao máximo, alimentos industrializados, uma vez que, a maioria destes contém bastante sódio.

Procure migrar para os alimentos naturais, e faça mais uso de condimentos como pimenta, salsinha, alho, cebola etc. Saiba que o alho é indicado para controlar a pressão e colesterol altos;  a cebola protege-nos de certas espécies de micro-organismos; e ambos são auxiliares no combate a doenças graves como o câncer.

A pimenta, por sua vez, ajuda na prevenção do envelhecimento celular e dá uma “turbinada” no metabolismo. Sendo indicada para dietas de emagrecimento. Não se esqueça da salsinha, que além de enfeitar as refeições, ataca doenças cardíacas e renais. Enfim, a lista de condimentos do “bem” é longa, então não deixe de explorá-los e se informar sobre os seus benefícios.

Por Gilvani de Oliveira


Saborear uma boa melancia é do gosto de muitas pessoas. Não simplesmente pelo sabor da fruta, que já é um bom atrativo, mas também pelos benefícios que ela pode oferecer para a nossa saúde. Nela podemos encontrar um fornecimento de minerais, fibras e vitaminas, além de um elevado teor de água.

Recentemente foi  publicado na revista científica American Journal of Hypertensionuma pesquisa realizada nos Estados Unidos, mais precisamente na Universidade da Flórida, que afirma que o consumo da melancia pode ocasionar em uma redução da pressão arterial e mais, ajudar pessoas previamente classificadas como pré-hipertensas, posteriormente não se tornarem hipertensas. 

Para tal apontamento os pesquisadores analisaram homens e mulheres, na faixa etária dos 51 até 57 anos, que tinham o diagnostico de pré-hipertensão. Durante o período de seis semanas, todos eles tiveram que ingerir um aminoácido encontrado na melancia. A dose ficava em 6g por dia. Após os testes foi verificado que, sem exceção, apresentaram um quadro de redução da pressão. 

Cientistas apostam que tal fato acontece, pois a melancia é rica em L-citrulina, que tem uma forte ligação com L-arginina, aminoácido que ajuda regular a pressão sanguínea. Mesmo com bons resultados, mais testes devem ser feitos para comprovar os efeitos.

Por Oscar Ariel


Caso você é daquelas pessoas que adoram saborear um chocolate, mas algumas vezes possui receio de algum mal que possa ocasionar, ade sentindo muitas vezes culpado, agora as coisas podem mudar um pouco. Pois uma pesquisa elaborada na Suécia na Universidade de Linkoping, afirma que o chocolate amargo, aquele que apresenta um alto teor de cacau, pode ajudar na redução da pressão arterial, isso devido a sua alta concentração de flavonóides.

Para a pesquisa foram selecionados cerca de 16 pessoas que apresentavam quadro saudável e não eram fumantes. Também foi exigido para tais voluntários que dois dias antes de realizarem os testes não ingerissem alguns alimentos e bebidas que poderiam atrapalhar no resultado final. Durante a pesquisa todos tiveram de se alimentar com 75g do chocolate, o qual continha um teor de cacau de 72%. Comparando os exames sanguíneos feitos antes e depois, mais precisamente 03 horas depois da ingestão, a atividade da enzima conversora angiotensina (ECA), que é responsável por regular a pressão arterial, obteve uma redução de 18%.

Os números podem ser comparados com remédios que são usados para combater a pressão alta.  Mais cuidado, mesmo sem sentimento de culpa por comer o chocolate, não exagere visto que grandes quantidades de chocolate pode acarretar em problemas com as calorias.

Por Oscar Ariel


Caso você tenha problemas como pressão arterial e colesterol alto, tome cuidado. Mas não estamos falando somente de problemas do coração que por ventura podem acontecer. E sim, que a partir da faixa etária dos 50 anos, a memória pode ficar debilitada, caso esses problemas estejam em nosso organismo.

Quem aponta tal afirmação é a pesquisadora Sara Kaffashian. Ela, por meio do Instituto Nacional Francês de Saúde e Investigação Médica da cidade de Paris, efetuou a pesquisa que conferiu a análise de mais de 3 mil homens e 1.341 mulheres.

A média de idade destes foi de 55 anos e eles foram acometidos em três testes cognitivos em 10 anos de pesquisa. Todos os voluntários também receberam a pontuação Framingham, que verifica o risco da pessoa sofrer problemas cardíacos, como AVC e ataques. Com isso ficou verificado que aquelas pessoas que apresentavam problemas referentes à saúde cardiovascular tiveram um pior desempenho quando ao realizar testes de habilidade e memória.

As informações são do site My Health News Daily.

Por Oscar Ariel 





CONTINUE NAVEGANDO: