Pesquisa revela que consumo de pimenta uma vez por mês pode reduzir a mortalidade em até 13%.

Um estudo realizado com 16 mil americanos que durou quase 19 anos revelou que a pimenta é uma das responsáveis por estimular a dilatação de nossos vasos sanguíneos e reduzir a pressão arterial.

A pimenta prolonga a vida? Sim!

A resposta vem de uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, na Universidade de Vermont. Os resultados mostraram que comer pimenta ao menos uma vez no mês reduz nossa mortalidade em até 13%. Os resultados apontam ainda queda no índice de patologias cardíacas como enfartes e também AVC.

Publicada no PLoS ONE, a conclusão explica que até mesmo pessoas tabagistas, sedentárias e com hábitos alimentares ruins foram beneficiadas com o consumo esporádico de pimenta. Em outras palavras, é possível afirmar que a pimenta faz o trabalho de quem não cuida de si mesmo.

E quais pimentas consumir?

Não há nenhum tipo específico de pimenta. Pode ser qualquer uma, sendo assim, utilize aquela que for de sua preferência. A forma de consumo (fresca ou em pó) também é indiferente.

Por que isso acontece?

Apesar da comprovação de seus benefícios, os pesquisadores ainda não sabem ao certo por qual motivo isso acontece. A tese mais aceita até o momento é de que a pimenta possui uma substância chamada de capsaicina que regula, dentre outras funções, a dilatação de vasos.

Quando há estímulos de canais, os vasos “expandem” e permitem com que o sangue passe com maior facilidade. De acordo com Durval Ribas Filho, presidente da ABRAN, este fator não melhora apenas a oxigenação de nossas células como também regula a pressão arterial. A combinação desses fatores resulta diretamente na diminuição de derrames e enfartes, doenças que acontecem quando há entupimento de vasos sanguíneos.

Outra propriedade da capsaicina envolve sua capacidade de promover a termogênese que nada mais é do que a queima de calorias. Segundo o Doutor Ribas, os consumidores de pimenta possuem menos chances de ficarem obesos ou acima do peso adequado.

Mas e o estômago? Não faz mal?

De acordo com a pesquisa, o consumo moderado traz benefícios até mesmo para o estômago, melhorando a flora intestinal por meio do fortalecimento do metabolismo celular e sistema imunológico.

Prevenção do Câncer

E a lista de vantagens não para de crescer! De acordo com os autores da pesquisa, a capsaicina equilibra os níveis de uma sustância conhecida como “NF Kappa Beta”, que é responsável por controlar o aumento das células.

E uma dica valiosa:

Para finalizar, os pesquisadores dão a dica de que os benefícios do consumo de pimenta podem ser potencializados através de dieta saudável e realização de esportes ou exercícios físicos.

Por Beatriz


Geralmente, os alimentos ingeridos por quem está de dieta não têm sabor. No entanto, nutricionistas descobriram que há algumas ervas e especiarias usadas como temperos que ajudam no emagrecimento. E quando se usa mais condimentos na comida, usa-se menos sal, culpado pela retenção de líquidos e consequente ganho de peso. As ervas e especiarias sugeridas são o orégano, a pimenta-caiena, a canela, a salsa e a cúrcuma.

O orégano é ótimo para a digestão dos carboidratos e funciona como tônico digestivo, além de ser antioxidante e diurético. A pimenta-caiena contém grandes quantidades de capsaicina, que aumenta a circulação sanguínea, sacia a fome e acelera o metabolismo, além de ser antioxidante e anti-inflamatória. Por saciar principalmente a fome por doce, a canela é excelente para a perda de calorias e tem também substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias que metabolizam a gordura.

Se tomada em forma de chá, a salsa é diurética e evita a formação de gases e inchaços no abdômen, além de ajudar na digestão e na limpeza do fígado, deixando o corpo limpo de toxinas. A cúrcuma, uma raiz, faz com que as reservas de gordura sejam liberadas e evita as rugas, pois contém antioxidantes.

Além de serem ótimos emagrecedores, esses temperos fazem bem para a saúde e para o paladar.

Por Flávia Yoshitani





CONTINUE NAVEGANDO: