Há diversos tipos de cirurgia para redução do estômago. Confira quais são, suas indicações e as diferenças entre elas.

Muitas pessoas recorrem a dietas para diminuir alguns quilinhos que estão a mais, com determinação e com a prática de exercício a grande maioria consegue atingir seu propósito. Porém, esse fato não é a realidade de todas, algumas pessoas recorrem a dietas, academia, mas mesmo assim não conseguem atingir resultados satisfatórios.

A solução é, às vezes, recorrer aos centros cirúrgicos, principalmente se a pessoa atingiu o grau de obesidade, pessoas com o IMC acima de 35 Kg/m2 com problemas de saúde grave ou pessoas que estão com IMC acima de 40 kg/m2, são indicadas para as cirurgias de redução de estômago, mas segundo os especialistas essa deve ser a última opção, a obesidade nem sempre tem origem do desequilíbrio alimentar, ela pode ter origem genética ou estar associada a distúrbios ou medicamentos que acelerem o aumento do peso.

Existem mais de uma forma de cirurgia para redução de estômago, acompanhe qual a diferença de cada uma:

– Gastroplastia Endoscópica

Esse procedimento é feito com um aparelho chamado Apollo Oversticth, que é acoplado na ponta do endoscópio. Todo o procedimento é feito por ENDOSCOPIA, pegando toda a parede do estômago, nesse procedimento não é feito nenhum corte na região, é indicado para pessoa que tem o IMC acima de 30 kg/m2 que é considerada obesidade de primeiro grau. Com essa técnica o estômago reduz de tamanho, o Apollo Oversticth contém uma ponta fina que serve para dar pontos por dentro do estômago, sendo assim ele murcha adquirindo o formato de um tubo, a partir disso comporta pequena quantidade de comida. A recuperação é instantânea, normalmente é dada alta no mesmo dia.

– Balão Gástrico

O balão intragástrico, é um balão de silicone colocado no estômago por endoscopia, esse procedimento preenche grande parte da cavidade gástrica por consequência diminui o apetite e o aumento da ansiedade. O balão gástrico é indicado para pessoas com o IMC acima de 35 kg/m2.

O balão gástrico é colocado sobre a orientação da endoscopia, não é necessário anestesia, apenas uma leve sedação, após a colocação é feito o preenchimento no balão com 500 a 800 ml de soro fisiológico. O paciente fica com o balão durante seis meses.

– By-pass Gástrico

É um dos procedimento mais utilizados para a redução de peso, com esse procedimento perde-se em torno de 40% do peso atual. Com essa técnica, através de um aparelho o estômago é grampeado e cortado, dividindo-se em duas partes. O alimento passa pela menor parte do estômago. A outra parte do estômago continua com sinais vitais, porém, deixa de receber alimento, apenas continua produzindo suco gástrico. Esse procedimento é indicado para pessoas que estão com o ICM acima de 40 kg/ m2.

– Gastrectomia Vertical – Sleeve

Com esse procedimento o estômago diminui em 70% do seu tamanho atual, sendo transformado em tubo, através de cirurgia o estômago é transformado em tubo, a parte retirada do estômago é a que produz Grelina, conhecida como o hormônio da fome, contribuindo para o paciente perder peso.

Para qualquer procedimento, por mais simples que seja, é de fundamental importância buscar mais informações com profissionais capacitados e regulamentados pelos órgãos de fiscalização.

Por Gisele Alves de Brito

Redução de peso


Saiba aqui a importância de se dormir bem e os seus reflexos na perda de peso.

Quem precisa perder peso logo imagina uma dura rotina para eliminar a gordura acumulada. Dieta e muita atividade física deverão fazer parte da nova rotina da pessoa, entretanto, tem uma outra atitude que precisa ser lembrada, que é o simples ato de dormir.

Vários estudos científicos já foram realizados nesse sentido e mostram que a quantidade de sono influencia na quantidade de calorias eliminadas. Claro que nem todas as pessoas irão perder a mesma quantidade de calorias após dormirem 7 horas, afinal, cada organismo tem suas próprias características, mas é certo que dormir ajuda a perder peso.

Quem dorme menos de 7 horas por noite, tem uma forte tendência a comer mais no decorrer do dia, ou seja, uma péssima notícia para quem precisa reduzir a ingestão de alimentos.

Mas não basta apenas investir na quantidade de horas dormidas, é preciso se preocupar com a qualidade. A pessoa que dormir 7 horas, mas acordar várias vezes durante o sono, vai sentir muito mais fome durante o dia, do que uma pessoa que teve uma boa noite de sono.

Após vários estudos, cientistas descobriram que se a pessoa tem o sono interrompido ela acaba afetando dois hormônios que estão ligados à sensação de fome. Outro problema de não ter um sono de qualidade é que o organismo inibe a leptina, responsável por dizer ao nosso cérebro que o corpo tem energia de reserva e não precisamos comer mais.

Outro problema que surge quando não dormirmos o suficiente é que nosso organismo começa a ter uma preferência maior por alimentos com alto teor de gordura e também de açúcar. Isso significa que, durante o dia, vamos sentir uma vontade enorme de comer doces, salgados gordurosos e todo tipo de alimento que nos faz ganhar peso.

A dica para quem precisa perder peso ou manter as medidas é investir em boas noites de sono, dormindo ao menos 7 horas e com qualidade, assim ficará muito mais fácil controlar o apetite no decorrer do dia.

E finalmente, não podemos nos esquecer que, dormindo bem, no dia seguinte nós teremos muito mais disposição para praticar atividades físicas e assim iremos perder peso de forma mais rápida.

Por Russel


Confira aqui os tipos de barriga e como perder cada uma.

A famosa barriguinha é uma das coisas que gera mais dúvida na hora de escolher a dieta e os exercícios físicos. Conhecer qual seu tipo de barriga ajuda a identificar as causas da mesma e traçar um plano eficiente para eliminar o excesso na região abdmonial. Existem pelo menos quatro tipos de barrigas. Confira os quatro tipos e as estratégias para reverter a barriguinha.

1) Barriga estilo Pneuzinho

Existem diversos nomes populares para esse tipo de barriga, seja as “Bóias” laterais, a “Graxinha” e ou a mais famosa: Barriga “Pneuzinho”.

Esse tipo de barriga é gerado pelo consumo excessivo de alimentos ricos em açúcar e bebidas alcoolicas. Outro fator que leva aos pneuzinhos é ficar muito tempo sentado durante o dia.

Para eliminar essa barriga, além de fazer exercícios físicos e não ficar durante longos períodos sentado, é preciso reduzir drasticamente a ingestão de doces e bebidas alcoolicas.

2) Barriga do Estresse

Esse tipo de barriga é provocada pela liberação de cortisol – hormônio liberado quando estamos estressados. Os sintomas são uma prutuberência dura na região abdmonial.

Para fugir da barriga do estresse é preciso ter hábitos regulares de sono, reduzir o café e alinhar o metabolismo. Para isso, as vezes faz-se necessário a consulta de um médico endocrinologista que avaliará sua condição metabólica.

3) Barriga Inchada

Não são só os gordinhos que possuem barriga, esse tipo de barriga está bastante presente mesmo nas pessoas bem magras. A barriga inchada é caracterizada por uma saliência dura na região abdominal que se forma durante o dia. Normalmente, quem tem essa barriga tem instestino muito preguiçoso – acumula-se líquidos no intestino que deixam a barriga inchada – ou possui intolerância a algum tipo de alimento: como lactose, glútem, afins.

Para vencer a barriga inchada é necessário investigar qual a real causa. Fazer exames para verificar possíveis alimentos que lhe causem intolerância é indispensável. Uma dica de ouro é consumir alimentos integrais e ricos em fibras, como também, evitar beber água junto com as refeições.

4) Barriga de Pochete

Esse é o tipo de barriga que está associado diretamente a maus hábitos alimentares e de saúde. Seja ingestão excessiva de calorias ou vida sedentária.

Para eliminar a barriga de pochete é necessário fazer uma reestruturação nos hábitos alimentares e de exercícios. Vale a pena pensar em uma consulta com nutricionista e acrescentar exercícios físicos diários para rotina.

Matheus Griebeler


Pesquisa realizada nos Estados Unidos revela que o aumento no consumo de água no dia a dia pode ajudar na perda de peso.

Um novo estudo firmado pela famosa Universidade de Illinois, nos Estados Unidos da América, mostra que o aumento do consumo de água por dia pode resultar em perda ou retenção de peso.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas que tomam mais água no seu dia a dia (de uma a três xícaras) tendem a reter menos calorias, ou seja, possuem menos gorduras no corpo.

O estudo foi feito com mais de dezoito mil pessoas de várias partes do mundo e mostrou que inevitavelmente a alteração foi entre 68-205 calorias a menos por dia para as pessoas que consomem mais água. Os níveis de gordura saturada, sal, açúcar e álcool consumidos adicionalmente, também caíram. O que automaticamente traz mais qualidade de vida e saúde para as pessoas.

Ruopeng An, professor e um estudioso no assunto de saúde comunitária da Universidade dos Estados Unidos, escreveu em seu texto que "o impacto do consumo de água pura dentro da alteração na dieta foi semelhante em vários grupos étnicos, de diferentes níveis acadêmicos, ganho financeiro, família e peso do corpo". Além disso, não havia nenhuma distinção dentro dos resultados entre aqueles que beberam água filtrada da pia ou água potável engarrafada. A água em qualquer parte do mundo não fez diferença no estudo divulgado pela Universidade.

Em resultados da pesquisa foram coletados entre 2005 e 2012. Ou seja, este estudo possui bastante precisão e confiabilidade pelo tempo em que foi feito. É impressionante como um aumento até mesmo de apenas 1% do consumo de água já é suficiente para mostrar uma alteração no corpo humano e da concentração de menos gordura e outros integrantes que consumimos diariamente, mas que fazem mal à saúde, como sal e açúcar.

Peritos envolvidos no estudo, juntamente com o professor Ruopeng An, acreditam que a pesquisa pode facilitar a vitória sobre os indivíduos para trocar bebidas que fazem mal a saúde, como refrigerantes, sucos em pó ou de lata, pela tradicional água como o adicional e principal líquido para a qualidade de vida de quem consome mais e mais.

Por Carolina Costa


A nova dieta visa um emagrecimento saudável e reeducação alimentar. Ela consiste em uma diminuição dos níveis de açúcar no sangue, promovendo uma melhora significativa desempenho físico e mental e ainda auxilia no retardamento do envelhecimento.

Verão batendo na porta. Férias chegando e o desejo de perder aqueles indesejáveis quilos toma conta das pessoas que pretendem pegar uma praia nas férias.

Uma dieta que tem se difundido bastante entre os nutricionistas diz respeito à Dieta da Zona Metabólica ou do Equilíbrio Hormonal. É um método de emagrecimento saudável e de reeducação alimentar.

Esta dieta foi desenvolvida pelo Dr. Barry Sears. Ela consiste numa diminuição dos níveis de açúcar no sangue, promovendo uma melhora significativa desempenho físico e mental e ainda auxilia no retardamento do envelhecimento. A dieta consiste no arranjo de cada refeição.

Indica-se uma diminuição dos carboidratos simples, trocando por carboidratos complexos e com baixo índice glicêmico (40%). Ingerir proteínas magras, grãos, sementes e cereais (30%). Sugere-se também a ingestão de gorduras boas, tais como, azeite de oliva e alimentos ricos em ômega 3 – peixes, linhaça e nozes (30%), evite ao máximo ingerir carnes pesadas e gordurosas. Esse arranjo ajudará numa diminuição do índice de gordura corporal. Para um melhor aproveitamento da perda de peso, é importante unir a dieta com a prática de atividades físicas. Além de auxiliar num melhoramento dos níveis de colesterol total, aumentando o nível de HDL (colesterol bom).

É recomendado também de cinco a seis refeições ao dia, que podem ser divididas da seguinte forma: 3 refeições principais – café da manhã, almoço e jantar; 2 lanches – um entre o café da manhã e o almoço; 1 fruta ou iogurte (sem açúcar) depois do jantar, antes de dormir.

É importante não ficar mais do que 4 horas sem comer. Esta dinâmica de comer a cada 3 horas mantém o metabolismo em equilíbrio e evita o aumento da insulina no sangue.

Seguindo estas regrinhas em interconexão com a prática de atividades físicas, em poucas semanas você já notará uma mudança visível, tanto a nível estético quanto na saúde mental. 

Por Felipe Pancheri Colpani

Dieta

Foto: Divulgação


Hodiernamente, as pessoas estão cada vez mais vaidosas e preocupadas com o corpo. Um dos fatores que as tem levado a essa ambição estética encontra-se muitas vezes nas academias, em comerciais de TV e nas roupas da moda. Diante disso, vamos abordar neste artigo os alimentos que mais contribuem para a perda de peso.

Primeiramente, é bom lembrar que a melhor dieta a se fazer é a das comidas cruas. No entanto, fazer uma dieta nem sempre é tarefa fácil e requer bastante disciplina por parte do indivíduo. As comidas cruas preenchem cerca de 75% a 80% do cardápio. Cabe lembrar que a maioria das pessoas que optam por essa dieta são veganos. Porém, pode ser incluído carne, uma vez que a dieta permite a ingestão de sashimis e leite não pasteurizado, além de diversos itens como: frutas, verduras, legumes, sementes, castanhas e sucos, desde que não estejam cozidos.

Entretanto, é necessário atentar-se bastante para essa dieta, uma vez que não é fácil de ser seguida e há o risco de intoxicação por comidas contaminadas, já que não é realizado processo de esterilização, como é o caso do leite e seus derivados. Os alimentos crus proporcionam grandes chances de perda de peso. Algumas celebridades de Hollywood já aderiram a esse novo método alimentar e conseguiram emagrecer bastante.

Ressalte-se que, alguns nutricionistas não a recomendam pelo fato de ser um cardápio com muito poucas calorias diárias, isto é, menos de 1.500 ao todo, o que pode gerar alguns desconfortos ao ser humano como: cansaço, sono e dor de cabeça. Lembrando que o exercício da mastigação é muito importante e nesse método praticamente não há esse processo. Nas duas primeiras semanas da dieta eliminam-se praticamente todos os tipos de carboidratos e as gorduras prejudiciais, como a saturada encontrada em carnes gordas e frituras. Estima-se que em 14 dias é possível emagrecer cinco quilos e notar uma diferença.

Por Luciana Viturino

Dieta da Comida Crua

Foto: Divulgação


Pesquisadores americanos e japoneses descobriram que o ácido acético, também conhecido como vinagre, emagrece. Tomando apenas 2 colheres dissolvidas em água por dia, pessoas que fizeram a dieta perderam de 2 a 5 quilos em um mês. Além de ajudar no emagrecimento, o vinagre também abaixa o nível de triglicerídeos, as gorduras ruins do organismo.

Outra boa notícia é que ele diminui em 25% a glicose no sangue, mesmo que você tenha comido apenas carboidratos como pão, macarrão e arroz. Normalmente, eles são absorvidos rapidamente pelo nosso organismo, o que faz o índice de açúcar aumentar bastante. E quanto maior o nível de insulina no corpo, mais fome sentimos. Assim, se o vinagre diminui a glicose no sangue, teremos menos fome e emagreceremos.

O ácido acético ainda inibe a ação dos carboidratos e das enzimas digestivas, fazendo com que eles passem como fibra pelo aparelho digestivo, não sendo assimilado.

No entanto, se você sofre de problemas gástricos, é melhor evitar a ingestão do vinagre, pois ele dá a sensação de queimação no estômago. Por isso, consulte seu médico antes de começar a dieta. 

Por Flávia Yoshitani


A rotina da maioria das pessoas hoje em dia faz com que elas façam tudo com muita pressa, inclusive comer. No entanto, cuidado com essa atitude, pois além de causar problemas estomacais, pode fazer com que você ganhe alguns quilinhos. Quando a pessoa não mastiga bem os alimentos, eles vão em pedaços quase inteiros para o estômago, fazendo com que ele tenha mais trabalho para digeri-los.

E ao se comer com muita pressa, não há tempo para o cérebro perceber a nossa saciedade. Sendo assim, continuamos comendo, mesmo que já estejamos satisfeitos.

Por outro lado, quem mastiga com calma, acaba comendo menos, pois o hormônio da saciedade, o PYY, consegue entrar em ação após o cérebro entender que você já está satisfeito. Segundo uma pesquisa realizada no Japão, quem come mais rápido tem duas vezes mais chances de ficar acima do peso. Portanto, coma com calma e sinta realmente o sabor dos alimentos para manter um corpo saudável e esbelto. ]

Por Flávia Yoshitani


O número de pessoas que seguem dietas milagrosas na intenção de perder os quilinhos a mais aumenta a cada dia. O problema é que nem sempre estas dietas ajudam a resolver o problema, pelo contrário, muitas prejudicam, e muito, a nossa saúde. Portanto, quando se trata de saúde, todo o cuidado é pouco.

Entre as dietas mais comuns, temos a Dieta da USP, os alimentos presentes no cardápio permite que a pessoa perca a gordura indesejada, logo o emagrecimento ocorre de forma mais rápida do que em outras práticas.

Como já sabemos, toda dieta alimentar deve ser seguida corretamente para que os resultados desejados sejam atingidos.

Através do site www.dietadausp.net você encontra dicas, informações sobre a dieta e o cardápio a ser seguido.

Lembrando que antes de iniciar qualquer dieta é recomendável procurar um médico ou um nutricionista, nem sempre o que é bom para uma pessoa é bom para outra. Avalie o seu caso e faça a dieta corretamente.

Por Milena Evelyn


Um livro que expõe uma nova forma de emagrecer é um sucesso de vendas no mundo todo. A “Dieta TNT”, dos autores Adam Campbell e Jeff Volek, propõe um método revolucionário de emagrecimento, com uma maior ingestão de proteínas.

Lançado no Brasil pela editora Universo dos Livros, a obra por aqui também é um sucesso de vendas. Em alguns sites, como a Americanas.com, já não há mais exemplares disponíveis para a venda.

O motivo do sucesso do livro é o plano de emagrecimento e nutrição elaborado por Jeff Volek, que é professor e colaborador da revista “Men's Health”, e o seu editor Adam Campbell.

A sigla TNT, tem o significado, em inglês, de um programa de Táticas de Nutrição Direcionadas. Ele possui um programa desenvolvido cientificamente, e que pode ser adaptado para qualquer tipo de corpo. A dieta visa um resultado a longo prazo, com mudanças de estilo de vida e alimentar visando fortalecer a saúde da pessoa.

Mesmo para pessoas com a agenda lotada, com o plano de três sessões semanais compostas por 30 minutos de exercícios físicos, durante 12 semanas, é possível diminuir de 7 a 14 kg de gordura, tonificar o corpo e reduzir significativamente os riscos de doenças cardíacas e diabetes.

O livro “Dieta TNT” possui 304 páginas e está à venda em diversos sites como o da própria editora Universo do Livros, o preço é de R$ 24,40:  

Por Selma Isis


Produtos que prometem milagres do emagrecimento enchem as prateleiras de lojas especializadas, além disso, existem também as fórmulas mágicas que aparecem nas revistas.

Recentemente o óleo de cártamo, rica fonte de ácido linoléico está sendo usado em dietas para emagrecimento. Ele causa alterações na composição corporal, reduz a gordura abdominal e ainda contribui para o aumento da massa magra. De acordo com estudos, também realizados recentemente, o óleo de cártamo ajuda na prevenção contra o câncer e da diabetes tipo 2, além de potencializar a mineração óssea.

Esse óleo pode ser encontrado em forma de cápsulas gelatinosas que devem ser ingeridas meia hora antes das refeições.

Vale ressaltar que toda substância em excesso pode causar danos à saúde ao invés de ajudar. Não deixe de consultar seu médico ou nutricionista antes de consumir qualquer produto químico ou natural.

Por Milena Evelyn


Verão chegando. Quilinhos à vista. Começo da corrida maluca para entrar esbelto (a) na estação mais quente do ano. 

Tudo bem, mas não esqueça que dietas malucas que cortam tudo, não estão com nada e nem te farão emagrecer. O efeito é muito rápido. Você emagrece por uns dias e depois recupera tudo. Seu corpo quando privado dos nutrientes fundamentais acaba por paralisá-lo. A grosso modo é como se faltasse combustível.

Não importa qual seja sua dieta ou intenção de quilos a perder, não elimine de seu cardápio os aminoácidos essenciais. Alimentos como soja, feijão, ovos, carnes, queijos e gelatina são fundamentais na produção de enzimas e vitais ao organismo.

Por Teresa Almeida


Existe muitas teorias a respeito das dietas, mas a maioria delas são apenas lenda. Como é o caso dos produtos que utilizam-se dos termos light, baixo teor de gordura ou sem gordura.

As pessoas acabam cometendo um grande erro acreditando que se só ingerirem alimentos light vão emagrecer. Como esses alimentos geralmente possuem uma  taxa maior de sódio, isso pode resultar em retenção de líquidos e de risco de hipertensão arterial.

Na verdade estes produtos que se dizem light, baixo teor de gordura ou sem gordura, são fundamentais para diabéticos, por exemplo, que são pessoas que possuem problemas específicos de saúde e não que necessariamente visam apenas emagrecer.

Por Teresa Almeida

Fonte: Veja – Edição 24 de novembro





CONTINUE NAVEGANDO: