Para quem acha que dormir após o almoço é sinônimo de preguiça, deve rever seus conceitos. Recentes estudos sobre esse hábito mostram os grandes benefícios que esse simples gesto nos proporciona.

Além de nos deixar mais dispostos para enfrentar o restante do dia de trabalho, os pesquisadores da Universidade de Lubeck comprovaram que o sono ajuda melhorar a memória, assunto que foi reportado pela revista “Nature Neuroscience”.

Outros benefícios adquiridos é o melhoramento do sistema cardiovascular e a diminuição em 37% da mortalidade por infarto.

O ideal seria descansar por trinta minutos antes de começar as atividades vespertinas, assim você se sentirá revigorado e mais disposto a resolver qualquer situação. Não esquecendo de que é apenas para revigorar, não para compensar uma noite mal dormida.

Não é aconselhável esta prática a pessoas que sofram de insônia.

Por Priscila Marques


Uma boa dica para os adolescentes que pretendem ter menor risco de contrair derrames e doenças cardíacas na fase adulta, é reduzir 3 gramas da ingestão de sal nas refeições por dia. Quem aponta este fato é um estudo americano realizado pela Universidade da Califórnia, mais precisamente pela pesquisadora Kirsten Bibbins-Domingo. A redução em tais problemas de saúde chega a ficar entre 30% até 40%.

Existem também outros benefícios que os adolescentes podem apresentar com a diminuição do sal. Quando estão perto da faixa etária dos 50 anos, estas pessoas reduzem de 8% até 15% as chances de apresentarem ataques cardíacos, de 7% até 12% menos chances de desenvolverem doenças coronarianas, além de uma diminuição de 5% até 8% nos casos de derrames. Segundo informações, meninos e meninas nos Estados Unidos chegam a consumir cerca 3,8 gramas de sal ao dia, sendo que o ideal é 1,5 gramas.

A dica é, além de cuidar do sal que você coloca nos alimentos durante as refeições, observar a quantidade já existente nestes. Pois, segundo especialistas, as maiores quantidades de sal que ingerimos são de alimentos que já apresentam alto teor de sódio. Por isso, verifique sempre a quantidade de sódio na tabela nutricional dos alimentos antes de consumi-lo.

Por Oscar Ariel


Você sabia que beber álcool pode fazer bem para a sua saúde? Mas calma. Tudo com muita moderação. Esta constatação foi feita por uma pesquisa realizada pela Universidade de Calgary. O apontamento da conta que as pessoas que tomam uma dose de alguma bebida por dia, podem ter uma redução entre 14% até 25% no risco de desenvolverem problemas do coração.

Como abordado no início do texto, tem de haver uma moderação, para homens o nível diário de álcool deve ficar até 30g e para mulheres o nível é de 15g ao dia. De acordo com os pesquisadores, esse fato ocasiona uma elevação do bom colesterol em nosso organismo.

Como podemos ver o consumo moderado ajuda em alguns aspectos, mas o excesso, como em tudo na vida, pode ocasionar sérios problemas, como a hipertensão arterial. Ao longo dos tempos podemos encontrar uma gama de pesquisas sobre o consumo do álcool relacionado com as doenças cardíacas. São mais de 80 os estudos que relacionam o fato.

Conforme informado no site da BBC News, não existe um tipo de bebida em questão que reduza os riscos de doenças, o benefício é encontrado no álcool em si. 

Por Oscar Ariel


Batata frita, biscoitos, salgadinhos de milho e macarrão instantâneo são alimentos que todos gostamos e consumimos sempre. Mas o problema é que eles contêm um alto teor de sódio, gordura saturada e trans, e um consumo elevado pode causar hipertensão e problemas cardíacos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisou mais de 20 produtos industrializados e constatou que o macarrão instantâneo contém um nível muito elevado de sódio (cerca de 167% acima do nível recomendado para o consumo diário). Há, inclusive, algumas marcas que têm duas vezes mais sódio que as outras.

Com relação à gordura saturada, o principal vilão foi a batata frita. Também neste caso, houve grande variação da quantidade de gordura entre as marcas.

De acordo com a Anvisa, os consumidores devem ficar de olho nas embalagens e procurar pelos produtos que contém a menor quantidade destas substâncias que podem fazer muito mal à saúde.

Veja aqui a lista dos produtos analisados pela Anvisa.


Ultimamente você anda sem tempo para nada? Os amigos lhe convidam para aquela cerveja gelada, mas você não consegue ir? Os familiares vivem reclamando que você não tem tempo para eles?

Se a sua resposta for sim para essas perguntas, você deve estar trabalhando demais. Não é mesmo? Então você deve ser mais um dentre tantos workaholics. Ou, em bom português, viciado em trabalho.

Mudar essa atitude é uma boa pedida. Pesquisas inglesas apontam que as pessoas que trabalham três ou quatro horas a mais que a média (sete ou oito horas diárias) têm um risco 60% maior de sofrerem problemas cardíacos.

Para não fazer parte desta estatística, algumas medidas são necessárias. Dizer não ao seu chefe é uma delas. Você deve lembrar a ele que existe vida além do trabalho. Distribua as tarefas entre os vários colegas de empresa, para que ninguém fique sobrecarregado.

Confira aqui outras dicas para aproveitar melhor o seu tempo.

Por André Gonçalves





CONTINUE NAVEGANDO: