Açúcar – Qual a Quantidade Ideal para Consumo





Saiba aqui qual é a quantidade de açúcar que podemos consumir sem engordar.

A pauta de hoje é saber quanto açúcar podemos ingerir por dia e como evitar um prejuízo na balança e na saúde.

Toda pessoa que é tarada por doce sofre com estatísticas sobre peso e diabetes, sobretudo se decide ou mesmo precisa iniciar um regime para manter alimentação saudável. Muitas delas temem nunca mais poder comer um doce qualquer.




Entretanto, atualmente alguns especialistas em saúde indicam que o açúcar pode ser incluído em uma boa e eficiente dieta, desde que essa substância seja consumida de forma muito equilibrada, ou seja, com muita moderação.

Nesse pequeno artigo serão enunciadas quatro dicas sobre o consumo de açúcar e como moderar esse hábito:


Existe o momento do dia mais adequado para se consumir doces?

Como é sabido, os carboidratos consistem na principal fonte de energia que o corpo utiliza. O açúcar é um tipo simples de carboidrato, o qual é lançado de modo ligeiro para a nossa corrente sanguínea, portanto, a melhor dica, nesse sentido, será comer algum ou alguns doces antes de iniciar um intenso exercício físico. Queimar gorduras e carboidratos é muito importante. Nesse caso, porém, evite quitutes pesados, tais como algumas sobremesas, sobretudo doces que portem muita gordura, os quais podem gerar certo desconforto gástrico ao longo das atividades.

Qual seria a quantidade ideal de consumo de doces por dia?

De acordo com dados estatísticos, publicados pela Organização Mundial de Saúde, em torno de 5% e 10% do total de valor em calorias são oriundas do açúcar. Neste caso, uma dose considerada ideal ou mais saudável, esse percentual pode equivaler a uma ou duas porções de doces, a cada dia, como, por exemplo, uma fatia de bolo, ou uma fatia de qualquer outro doce, que seja do tamanho proporcional à dosagem de açúcar. Uma das coordenadoras do departamento de Nutrição que faz parte da Sociedade Brasileira de Diabetes já explicou sobre esse tipo de porcentagem, que deve ser levada em consideração, sobretudo para nossa saúde.

A presença de gordura nos doces também preocupa, dada a sua concentração.

Aqui é importante lançar esse dado: um grama de açúcar contém quatro calorias e um grama de gordura fornece nove. Assustador? Sim! Portanto, é muito válido, e até urgente, frisar que existe uma ampla gama de doces que ingerimos na atualidade contendo alto teor de gordura, sendo que a gordura se torna um fator mais preocupante do que o próprio açúcar por conta de seu super poder de acúmulo. A gordura forma camadas adiposas em nosso corpo e isso faz mal. A combinação de açúcar e gordura, então, pode ser letal, em longo prazo, conforme estatística recentemente publicada por meio do departamento de endocrinologia da organização SBEM, Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Dica muito importante: o modo de consumir doce deve ser explicado.

Nesse caso, logo após o almoço ou uma janta, ou qualquer refeição onde prevaleça o alimento salgado, existem meio de se controlar nossos hábitos alimentares no sentido da fazer sobrar algum espaço para comer doces. Aqui se trata de fazer controlar a ingestão de outras fontes existentes de açúcar. O pão francês, por exemplo, embora não seja doce, leva açúcar em sua composição, então, diminuir o seu consumo. O nosso comportamento alimentar deve ser disciplinado de modo bem equilibrado, sem exageros nem para um lado, nem para outro. Precisamos de carne, de sal, de açúcar, de gordura, etc. Entretanto, é necessário potencializar nossa satisfação comendo menos, porém, descobrindo, aos poucos, o melhor modo de comer, aproveitando as oportunidades sem se empanturrar.

Paulo Henrique dos Santos



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *