Pesquisa revela que açúcar pode ser o principal vilão do colesterol alto, não a gordura.

Os especialistas sempre disseram que o grande causador do colesterol e dos problemas coronários no corpo humano era a gordura, porém, uma revista lançada no mês passado traz uma informação contrária. Segundo um estudo publicado na revista JAMA Internal Medicine o açúcar é o causador de doenças do coração.

A pesquisa afirma que a taxa de doenças cardíacas está associada à média de calorias que derivam da sacarose, que é o açúcar comum.

Segundo Robert Lustig , endocrinopediatra e pesquisador da Universidade da Califórnia, o açúcar está diretamente ligado ao diabetes tipo 2, cárie, gordura no fígado e doenças cardiovasculares.

Em um estudo realizado por Lusting, quando o açúcar foi substituído por carboidratos em um programa de emagrecimento de crianças obesas dos EUA, pelo período de nove dias, observou-se uma diminuição em torno de 10 pontos do colesterol LDL, que é relacionado com os problemas cardíacos. Também foi observado que os triglicérides, que é a gordura que fica armazenada no corpo, teve uma considerável redução, algo em torno de 33 pontos. Além disso, a pressão arterial também teve uma redução de 5 pontos. Contudo, as crianças não tiveram perda de peso significativa, o que provou que não é a obesidade (excesso de gordura) que causa essa variedade de problemas, mas sim o açúcar. Ainda segundo o estudioso, o perigo do açúcar não está no seu elevado número de calorias, mas na bioquímica presente na molécula do açúcar.

Na realidade, há mais de 50 anos médicos e pessoas comuns buscam a redução do consumo de gordura, para isso substituiu-se alguns alimentos, outros foram cortados da alimentação, mas o colesterol chamado ruim nunca diminuiu.

Pesquisas apontam que ao se alimentar com o açúcar, ocorre a formação da acetilcoenzima A, que é a formadora do triglicérides, que por fim se transforma na lipoproteína chamada VLDL, que ao ser quebrada pelo fígado, leva a produção do colesterol LDL, que é denso, pequeno e que formam placas pelas artérias, que são associadas as doenças cardíacas.

Ainda não existem estudos que realmente possam comprovar, mas muitos especialistas afirmam que o açúcar é causador de demência de determinados tipos de câncer. O que deve ser ainda mais pesquisado.

Muitos médicos discordam do que a pesquisa afirma, mas é sempre bom evitar o exagero de açucares e também de gorduras na alimentação.

Sirlene Montes


Uma grande maioria da população mundial sofre com um certo problema de saúde: a Obesidade; que pode levar o individuo à morte, se não for tratado e ainda é a responsável por grandes gastos na área da saúde.

Mas se você quer perder peso e ficar fora destas estatísticas, siga as dicas:

Primeiramente, aprenda a comer, tire um tempo para se alimentar e coma mastigando bem os alimenstos, para que assim, o cérebro receba a informação de saciedade; leve pelo menos vinte minutos para comer as grandes refeições.

Não retire nenhum tipo de alimento do seu cardápio, como os carboidratos, pois o corpo necessita de todos os grupos alimentares para ficar nutrido. O correto é optar pela reeducação alimentar.

Tome um bom café da manhã, pois quanto mais tempo o corpo fica sem alimentos, mais ele reservará gordura para esperar a próxima refeição e como você já passou a noite toda digerir qualquer alimento, procure comer bem.

Outra dica importante é comer várias vezes ao dia, coma pelo menos a cada três horas e não se alimente em frente à televisão, falando ao telefone ou em frente ao computador.

Seja bastante seletivo no que vai comer e não divida a refeição, comendo a salada depois o resto da comida por exemplo, pois assim você corre o risco de comer mais do que deve, e ainda não perceber a sensação de saciedade.

Se, ao contrário, colocar a salada junto com os outros alimentos, você pode ter a ideia de que o prato está cheio, e dessa forma, comerá bem menos.

Outra dica que vale ouro, é a prática diária de exercícios.

Começar com uma leve caminhada todos os dias, é um ótimo ponto de partida.
 

Por Russel


A falta de hábitos alimentares saudáveis aliado a falta de atividade física tem levado ao excesso de peso. E as brasileiras não fogem à regra. Com a idade, esse sobrepeso se torna perigoso. O acúmulo de gordura leva ao risco de tumores cancerígenos mais agressivos em mulheres na fase pós-menopausa.

Estudos recentes de cientistas americanos revelaram a intrínseca ligação entre a obesidade na pós-menopausa e um tipo agressivo de câncer de mama ligado ao estrogênio, que é um hormônio feminino. Chamado de triplo-negativo, esse tipo avassalador de câncer de mama se caracteriza pela falta de estrogênio, progesterona e expressão da proteína HER2.

E mais: tal câncer traz uma péssima expectativa de vida às mulheres, por causa de seu difícil tratamento. Esta constatação disparou o alerta vermelho a respeito da necessidade das mulheres manterem uma faixa de peso saudável com o decorrer da idade.

Mais uma vez, o imperativo maior é mesmo a prevenção.

Por Alberto Vicente e Janilza Santos


Após o comunicado da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) solicitando a retirada de medicamentos utilizados para o controle da obesidade, que contém sibutramina e dos anorexígenos anfetamínicos (anfepramona, femproporex e mazindol) alegando os altos riscos à saúde que esses medicamentos podem provocar, a comunidade médica se dividiu com relação a eficácia e riscos dos medicamentos citados.

Alguns médicos, especialmente os Endocrinologistas, são contra a proibição da venda e uso desses medicamentos. Para eles, não é necessário banir, e sim aumentar sua fiscalização sobre esses produtos. Segundo o Endocrinologista Márcio Mancini, o estudo feito pela ANVISA para a proibição de tais medicamentos, não foi elaborado por especialistas em obesidade, além disso, consta de uma série de equívocos.

Em nota, a ANVISA informa que em diversos países esses remédios já foram proibidos por serem considerados medicamentos de alto risco aos usuários e obsoletos para este tratamento.

Por Henrique Pereira


A era digital dos computadores e internet trouxe muitos benefícios para o mundo, isso é um fato. Mas para aquelas pessoas que exageram na dose, sempre acabam tendo problemas em frente ao PC, às vezes até de saúde. Segundo uma pesquisa elaborada pela Universidade de Bristol, situada em terras inglesas, o ato de se alimentar quando está no computador conversando com amigos, jogando, pode fazer com que a pessoa comece a ter problemas com o seu peso.

Os pesquisadores creditam isso ao fato de que, quando a pessoa tem esse costume, ela acaba por não ficar satisfeita com a refeição, assim começa a ingerir mais alimentos durante o dia. A pesquisa foi feita com dois grupos, sendo que o primeiro se alimentou com uma refeição contendo nove itens e, ao mesmo tempo jogando paciência no computador. Já o outro grupo comeu normalmente sem distrações.

As pessoas que comeram jogando paciência, não ficaram satisfeitas, e pouco tempo depois já estavam se alimentando novamente.

Por Oscar Ariel


A obesidade é algo muito sério, um problema que muitas vezes gera outras doenças, além de mexer com o psicológico da pessoa. E o que comumente vemos são os padrões que a mídia insiste em impor para a sociedade: pessoas magras e bonitas.

Os tratamentos para a obesidade são os mais variados na tentativa de ajudar e livrar o paciente de tantos incômodos. A acupuntura tem sido um novo caminho no tratamento deste problema, que está se tornando tão comum entre a população mundial.

A acupuntura tem como objetivo atingir os pontos que estão ligados ao prazer, a saciedade e ao equilíbrio, além dos que estimulam o sistema digestivo. Trabalhar a compulsão por comida é um passo muito importante, já que muitas vezes a força de vontade do paciente não é suficiente, pois as pessoas obesas já se encontram em um estagio psicológico muito avançado de compulsão e descontrole.

Antes de iniciar qualquer sessão de acupuntura procure seu médico e converse com ele a respeito.

Por Milena Evelyn


Extremamente badalada a dieta mediterrânea, que já tem confirmado entre seus benefícios a perda de peso em pessoas que apresentam sobrepeso e obesidade e a proteção contra diabetes e doenças cardiovasculares, parece ter outra vantagem sugerida por um recente estudo da Universidade de Navarra, na Espanha, conforme matéria do site Delas IG. A dieta mediterrânea pode evitar o acúmulo de quilos extras que vem com o envelhecimento, principalmente em função da desaceleração do metabolismo.

Querendo descobrir qual era o efeito da dieta mediterrânea entre jovens, não obesos e pessoas saudáveis, os pesquisadores recrutaram 10.000 espanhóis com estudo superior completo de até 38 anos. O grupo preencheu questionários de frequência de 136 itens alimentares e tiveram sua alimentação acompanhada durante cerca de seis anos.

Os pesquisadores descobriram durante o período do estudo que os voluntários que relataram baixa adesão a dieta mediterrânea ganharam mais peso, enquanto aqueles que aderiram a ela foram menos propensos a acumular mais gordura. Em termos percentuais aqueles que seguiram à risca a dieta foram 10% menos propensos a se tornarem obesos ou ficarem acima do peso até o final da pesquisa.

Mesmo levando-se em conta certas limitações do estudo, entre elas o fato de alguns dos pesquisados já levarem uma vida saudável em outros aspectos e também do universo dos pesquisados ter sido feito com universitários graduados, o que talvez não torne os resultados aplicáveis a população em geral, de acordo com cientistas que não participaram do estudo, a pesquisa demonstra que a dieta mediterrânea baseada no consumo de peixes, frutas, verduras, legumes e cereais, pode ser uma boa opção para se evitar o acúmulo de peso decorrente da idade.

Por Mauro Câmara


Um estudo realizado pelas Universidades de Cornell e de Buffalo, situadas nos Estados Unidos, apontou que a forma de pagamento que as pessoas utilizam para suas compras, interfere no aumento da obesidade destas. A pesquisa avaliou o comportamento de mil donas de casa. Ao fim dos testes, o que ficou concluído é que em boa parte das mulheres que pagavam as compras com o cartão de crédito, elas obtinham hábitos alimentares não muito saudáveis, como também apresentavam certa impulsividade na escolha dos produtos.

Outro dado apontado pelos pesquisadores, é que efetuando o pagamento em dinheiro as pessoas ficam mais indispostas a comprar produtos mais superficiais, como aquela barra de chocolate entre outras coisas. Por fim, o estudo mostra que controlar o seu impulso na hora das compras, pode não só ajudar em seu bolso, mas também na sua saúde. Mesmo sendo uma tarefa difícil, a dica é deixar os cartões de débito e crédito em casa.

Fonte: saude.terra.com.br

Por Oscar Ariel


A obesidade infantil é uma doença que vem crescendo cada vez mais no Brasil. Atualmente, cerca de 25% das crianças brasileiras, entre 7 e 14 anos, sofrem desse mal. Como contribuir para que esse número caia?

Uma das melhores maneiras é oferecer aos seus filhos uma alimentação adequada e equilibrada. Para os bebês, o melhor é o aleitamento materno, até os seis meses de vida. Depois, você pode começar a oferecer alimentos naturais, frutas, verduras, legumes, de preferência orgânicos. Os sucos de frutas não devem ser adoçados.

Outra dica é evitar guloseimas doces e salgadas na merenda escolar. Salada de frutas, barras de cereais e biscoitos integrais são boas opções.

A prática de exercícios físicos também pode contribuir para uma boa saúde das crianças, desde que não seja feita de forma exagerada. O melhor é conversar com o seu filho e descobrir quais atividades ele gosta de fazer.

Mais dicas sobre uma alimentação adequada para as crianças podem ser encontradas aqui.

Por André Gonçalves





CONTINUE NAVEGANDO: