Mente vazia e ociosa para alguns que acreditam no velho ditado, é moradia do diabo, para outros é vontade de comer guloseimas. Entre doces, balas, chocolates e todo o tipo de sobremesas, quem tem o hábito de comer guloseimas está sempre em compulsividade.

Toda hora é motivo de comer alguma coisa. Na maioria das vezes essa compulsividade por guloseimas está diretamente ligada à falta de afeto ou ainda à necessidade de estabelecer relações. No trabalho, essa ligação se estende para a ansiedade e angústia, falta de atenção ou ainda tendências depressivas. Por isso, sempre quando você tiver vontade compulsiva de comer guloseimas fora de hora, reflita antes sobre os seguintes aspectos:

1. Faça uma análise da sua situação:

Se todo o momento for hora de comer guloseimas ou outras comidas por compulsividade, considere um problema e reflita se você não precisa de ajuda. Essa atitude tem que estar ligada a algum fator externo. Pode ser por causa de um trabalho estressante, o término de um relacionamento, baixo autoestima ou até carência afetiva. Se algum desses fatores estiver te preocupando em sua vida, não desconte no seu estômago e procure ajuda com um profissional para te ajudar antes que essa compulsividade por guloseimas acabe com a sua saúde.

2. Programe-se:

Em alguns casos, se não forem muito sérios, não precisa parar de comer, basta apenas se programar para comer na hora certa. Depois de um almoço, no lanche da tarde ou ainda aos finais de semana, em pequenas quantidades, é uma boa alternativa. Evite comer doces no café da manhã, de noite ou de madrugada, pois pode ser prejudicial para a sua saúde.

Caso esteja de dieta, informe-se com seu médico a respeito dos doces que pode ou não comer. Não é a ausência que não te fará mal, e sim a moderação que te fará bem.

Pense que o exagero só te trará prejuízo, principalmente se for por motivos psicológicos.

Por Daniela Almeida da Silva


Você costuma cheirar frutas antes das refeições? Pois saiba que um recente estudo, publicado na revista científica "Appetite", explana que fica muito mais fácil resistir a tentações como sobremesas deliciosas e pratos calóricos após ter cheirado uma fruta.

Estar exposto a aromas de frutas pode fazer com que o cérebro opte por selecionar opções mais saudáveis de alimento, com ênfase na sobremesa.

Psicólogos da Universidade de Bourgogne, na França, informaram que essas descobertas evidenciam como os cheiros influenciam nas nossas opções alimentares, afinal os voluntários que integraram a pesquisa não foram informados previamente que seriam submetidos a cheiros de frutas.

Sobre a dinâmica da pesquisa:

Um total de 115 homens e mulheres, entre 18 e 50 anos de idade, participou da pesquisa. Eles foram distribuídos em dois grupos, sendo que antecipadamente lhes foi informado que o estudo serviria para avaliar de que forma as pessoas se comunicam enquanto realizam uma refeição.

Um dos grupos foi instruído a ficar por alguns instantes em uma sala de espera que em instantes anteriores havia sido pulverizada com o aroma de peras frescas. O outro grupo aguardou em uma sala de espera que não possuía qualquer odor de frutas.

Depois de 15 minutos, os participantes do estudo eram direcionados a um Buffet, sendo possível escolher três pratos – entrada, refeição principal e sobremesa. Havia pratos com frutas e legumes em todas as refeições, bem como pratos sem essas opções saudáveis.

Embora o cheiro da pera não tenha tido tanto efeito no momento de escolher a entrada ou a refeição principal, no momento da sobremesa tornou-se evidente a preferência por algo mais saudável. Três em cada quatro participantes que não estiveram expostos ao aroma da pera escolheram a sobremesa mais calórica, essa mesma escolha foi feita por menos da metade dos que sentiram previamente o cheiro da pera. Fato que evidencia que o apetite pode ser construído por estímulos inconscientes.

Por Rafaela Fusieger

Aromas das frutas

Foto: Divulgação


A rotina da maioria das pessoas hoje em dia faz com que elas façam tudo com muita pressa, inclusive comer. No entanto, cuidado com essa atitude, pois além de causar problemas estomacais, pode fazer com que você ganhe alguns quilinhos. Quando a pessoa não mastiga bem os alimentos, eles vão em pedaços quase inteiros para o estômago, fazendo com que ele tenha mais trabalho para digeri-los.

E ao se comer com muita pressa, não há tempo para o cérebro perceber a nossa saciedade. Sendo assim, continuamos comendo, mesmo que já estejamos satisfeitos.

Por outro lado, quem mastiga com calma, acaba comendo menos, pois o hormônio da saciedade, o PYY, consegue entrar em ação após o cérebro entender que você já está satisfeito. Segundo uma pesquisa realizada no Japão, quem come mais rápido tem duas vezes mais chances de ficar acima do peso. Portanto, coma com calma e sinta realmente o sabor dos alimentos para manter um corpo saudável e esbelto. ]

Por Flávia Yoshitani





CONTINUE NAVEGANDO: