Pesquisa revelou que caminhar perto da natureza faz bem para o cérebro.

Você tem o hábito de caminhar na praça ou parque? Gosta de estar em contato com a natureza? De acordo com um estudo organizado pela Universidade de Stanford nos Estados Unidos caminhar na natureza faz bem para o cérebro.

A pesquisa teve a participação de 38 pessoas e todas moravam em cidades movimentadas. Foi analisado o fluxo de sangue no córtex pré-frontal do cérebro usando a tomografia, sendo que quanto maior a quantidade de sangue, mais agitado é o órgão. Os voluntários do estudo também foram submetidos a um questionário com o intuito de avaliar o nível de contentamento.

Os participantes foram divididos em dois grupos. Um deles caminhou em uma parte arborizada e calma do Campus da faculdade e a outra pela parte agitada da cidade de Palo Alto, na Califórnia. Os voluntários andaram sozinhos e não podiam ouvir música.

Depois desta etapa, os participantes fizeram tomografia e responderam a outras perguntas do questionário. Segundo os resultados, os voluntários que caminharam na parte agitada da cidade tinham muito sangue circulando no córtex pré-frontal, enquanto os resultados do outro grupo mostraram mais positividade no questionário, além de uma quantidade menor de sangue. Desta forma, a pesquisa mostrou como é importante as pessoas dedicarem um tempo para curtir e aproveitar a natureza, e se desligar, um pouco, da agitação dos grandes centros urbanos.

Sabia que a caminhada traz muitos benefícios para o organismo?

Andar melhora a circulação e ajuda a manter o controle da pressão arterial. Um estudo feito pela Universidade de São Paulo revelou que caminhar 40 minutos por dia pode diminuir a pressão arterial durante 24 horas após o exercício.

A caminhada também torna o pulmão mais eficiente nas trocas gasosas, além de prevenir inflamações como, por exemplo, bronquite. Andar atua no combate a osteoporose e o impacto dos pés com o chão traz muitos benefícios para os ossos.

O esporte afasta a depressão porque libera o hormônio da endorfina, que é responsável por trazer sentimentos de alegria e relaxamento. Depois de um tempo, a quantidade aumenta e como consequência a pessoa fica mais feliz, alegre e disposta, além de aumentar a sensação de bem-estar.

Por Babi


Você sabia que existem meios para exercitar o seu cérebro e expandir sua capacidade mental? Confira agora algumas dicas de como você pode fazer:

1. Faça atividades novas todos os dias:

Quando você experimenta coisas novas, seu cérebro se exercita melhor e você o estimula a fazer novas conexões. Essas conexões criam caminhos que podem aumentar sua inteligência e o raciocínio.

2. Faça exercícios regularmente:

De acordo com estudos científicos, o cérebro se regenera a cada vez que praticamos exercícios físicos. Isso porque cada vez acontece uma ligação diferente, mantendo ele mais jovem e sempre em bom funcionamento.

3. Exercite sua memória:

Exercitar sua memória também é uma ótima opção para quem quer ter uma boa capacidade mental. Para isso, é necessário muito treino e disciplina constante. Por exemplo, se você quer treinar sua memória, procure decorar mais os números de telefone dos seus contatos do que os nomes deles, pois assim seu cérebro assimilará mais rápido.

4. Tenha curiosidade:

Prefira sempre ter opinião diferente das coisas. Tenha sede de aprender cada vez mais com coisas novas todos os dias. Desenvolva o hábito de questionar as coisas e pesquise sobre os fatos ao invés de ficar só debatendo. Não limite seu conhecimento a apenas aquilo que é imposto à você como opinião. Saia da rotina e explore novas maneiras de pensar.

5. Seja otimista:

Pensar positivo ajuda a combater o estresse e a ansiedade. Além de ser bom para a saúde, também é bom para o bom funcionamento da mente.

6. Alimente-se bem:

Você sabia que o cérebro consome cerca de 20% de todos os tipos de nutrientes que ingerimos, além de oxigênio e outros tipos alimentos que entram em nosso corpo? Pois é, estudos indicam que a alimentação saudável pode ter um impacto grande em nosso cérebro, e por isso, ela pode ser considerada um dos fatores mais importantes para a saúde dele.

Por Daniela Almeida da Silva





CONTINUE NAVEGANDO: