Uma excelente dieta que reduza significativamente o consumo diário de açúcar, será a que promova o progressivo corte dessa substância na alimentação.

O açúcar é uma das substâncias mais essenciais para o bom funcionamento do organismo humano. Está presente na natureza em diversas espécies de vegetais. Consiste em uma espécie de combustível que supre o desgaste de energia. Entretanto, tudo que é consumido em excesso faz mal à saúde. Quando o açúcar cai na corrente sanguínea, o fígado, o órgão que retém esta substância para processá-la, pode ficar sobrecarregado em sua funcionalidade. Deste modo, a quantidade de açúcar em excesso no fígado acaba sendo cambiado em um subproduto chamado ácido graxo, retornando para a corrente sanguínea e acumulando-se no organismo.

Infelizmente essa substância gordurosa flui por todo o corpo, acumulando-se em diversas partes mais superficiais, tais como no abdômen, em volta das mamas e na região glútea. Tipos de alimentos que contém muito açúcar, em geral, são muito prazerosos na degustação e acabam sendo muito consumidos na atualidade. A pesquisa estatística realizada todos os anos pelo IBGE, confirma que pelo menos 50% da população brasileira está acima do peso. Porém, outra estatística confirma que há uma grande quantidade de pessoas que passaram a adotar dietas que dispensam o açúcar ou, ao menos, o reduzem significativamente, confirmando a existência de uma séria preocupação com a saúde, que toca uma grande parcela da população brasileira.

Portanto, o consumo excessivo de alimentos com açúcar pode prejudicar o organismo nos seguintes pontos: na forma estética ou boa forma; intensifica o risco de problemas cardiovasculares que levam à morte; reduz o bom funcionamento dos órgãos internos, torna o sistema imunológico mais vulnerável e aumenta a pressão arterial.

Os problemas de saúde acima citados acontecem em razão de que, na medida em que diversas partes do corpo ficam cheias de ácidos graxos, estes formam camadas de gordura que acabam se alojando em diversos órgãos, tais como o coração, os rins, o fígado. Assim, com excesso de substâncias gordurosas o organismo trabalha de modo menos eficiente, mais lentamente, causando cansaço e outros problemas.

Portanto, entre as melhores recomendações sobre a quantidade de açúcar a ser consumido diariamente está a de que esse consumo não vá além de 10% desta substância calórica, pois esta porcentagem é mais do que suficiente para o organismo processar por dia.

Assim, uma excelente dieta que reduza significativamente o consumo diário de açúcar, será a que promova o progressivo corte dessa substância na alimentação. Entretanto, não se trata apenas de abstinência em relação ao açucareiro. É necessário elaborar uma relação de alimentos que contenham muito açúcar. Os doces em geral devem ser evitados. Ao optar pelos produtos alimentícios que não possuem açúcar, os consumidores certamente sentirão uma diferença na degustação, mas, vale lembrar que, menos prazer, neste caso, é sinônimo de mais saúde.

É preciso ter muita atenção em relação aos produtos que serão selecionados, já que, muitos deles possuem açúcar em sua composição sem que as pessoas saibam. Uma lista dos gêneros alimentícios que precisam evidentemente ser evitados contém: chicletes, balas, chocolates, cookies, pudins, brigadeiros, brownies, sorvetes, bebidas refrigerantes, café especiais com cremes, ou seja, todo tipo de alimentos explícita e altamente calóricos.

É muito importante que as pessoas que decidirem seguir um rigoroso regime de saúde, que tenda a abolir o consumo de açúcar, prestem atenção a uma valiosa dica imprescindível, que se refere aos temperos próprios para alimentos salgados, tais molhos, ketchup, marinadas ou grãos que, em geral, possuem açúcar em sua composição.

Entre os produtos mais recomendados, que substituem o açúcar, estão os adoçantes de diversas marcas. Em geral estes produtos adoçam bem os alimentos ou bebidas preparadas, como o café, sem provocar alteração no grau de glicemia ou provocar acúmulo de calorias. O tipo de substância chamado Xylitol tem sido recomendando por nutricionistas como um excelente substituto do açúcar. O famoso Sorbitol, substância encontrada nas algas marinhas, tem sido utilizado como adoçante. Porém, no caso desta última dica, é recomendável consulta a um nutricionista no sentido de dosar o seu consumo.

Por Paulo Henrique dos Santos

Dieta sem açúcar


Pesquisa revela que açúcar pode ser o principal vilão do colesterol alto, não a gordura.

Os especialistas sempre disseram que o grande causador do colesterol e dos problemas coronários no corpo humano era a gordura, porém, uma revista lançada no mês passado traz uma informação contrária. Segundo um estudo publicado na revista JAMA Internal Medicine o açúcar é o causador de doenças do coração.

A pesquisa afirma que a taxa de doenças cardíacas está associada à média de calorias que derivam da sacarose, que é o açúcar comum.

Segundo Robert Lustig , endocrinopediatra e pesquisador da Universidade da Califórnia, o açúcar está diretamente ligado ao diabetes tipo 2, cárie, gordura no fígado e doenças cardiovasculares.

Em um estudo realizado por Lusting, quando o açúcar foi substituído por carboidratos em um programa de emagrecimento de crianças obesas dos EUA, pelo período de nove dias, observou-se uma diminuição em torno de 10 pontos do colesterol LDL, que é relacionado com os problemas cardíacos. Também foi observado que os triglicérides, que é a gordura que fica armazenada no corpo, teve uma considerável redução, algo em torno de 33 pontos. Além disso, a pressão arterial também teve uma redução de 5 pontos. Contudo, as crianças não tiveram perda de peso significativa, o que provou que não é a obesidade (excesso de gordura) que causa essa variedade de problemas, mas sim o açúcar. Ainda segundo o estudioso, o perigo do açúcar não está no seu elevado número de calorias, mas na bioquímica presente na molécula do açúcar.

Na realidade, há mais de 50 anos médicos e pessoas comuns buscam a redução do consumo de gordura, para isso substituiu-se alguns alimentos, outros foram cortados da alimentação, mas o colesterol chamado ruim nunca diminuiu.

Pesquisas apontam que ao se alimentar com o açúcar, ocorre a formação da acetilcoenzima A, que é a formadora do triglicérides, que por fim se transforma na lipoproteína chamada VLDL, que ao ser quebrada pelo fígado, leva a produção do colesterol LDL, que é denso, pequeno e que formam placas pelas artérias, que são associadas as doenças cardíacas.

Ainda não existem estudos que realmente possam comprovar, mas muitos especialistas afirmam que o açúcar é causador de demência de determinados tipos de câncer. O que deve ser ainda mais pesquisado.

Muitos médicos discordam do que a pesquisa afirma, mas é sempre bom evitar o exagero de açucares e também de gorduras na alimentação.

Sirlene Montes


Medida poderia fazer com que as pessoas consumam menos bebidas com açúcar.

A OMS fez um levantamento e constatou que o aumento de impostos de refrigerantes e bebidas a base de açúcar diminuiriam significativamente os números de doenças causadas pelo excesso de açúcar, como diabetes, obesidade e problemas dentários. Com o aumento das taxas, esses números de doenças iam ter uma importante queda.

O estudo que foi publicado no último dia 11, afirmou que um aumento de 20% nos preços desses produtos, seria suficiente para que o consumo caísse. Com a diminuição de consumo dessas bebidas, acarretaria em um menor consumo de açúcar, e assim, melhorando a nutrição e a incidência de doenças como a diabetes, que hoje é uma das doenças que mais matam as pessoas ao redor do mundo.

O grande vilão para o aumento alarmante de diabetes e da obesidade é o açúcar em excesso. As bebidas açucaradas levam uma dose extravagante de açúcar, muito além do recomendado diariamente. O consumo desses produtos é de fato o grande responsável pelo aumento dessas doenças.

A OMS vai além e afirma que se os governantes aumentarem os impostos desses produtos estarão salvando vidas. Pois, além de evitar as doenças, ainda acarretaria em uma diminuição de custos no setor da saúde, assim, sobraria mais renda para o Estado.

A preocupação com a obesidade é grande, números mostram que entre 1980 e 2014, o número de obesos duplicou. Hoje, no mundo, 11% dos homens e 15% das mulheres são obesos. E esse não é um problema enfrentado somente na vida adulta, 45 milhões de crianças com menos de 5 anos foram consideradas acima do peso ou obesas, no último ano. É algo muito preocupante e necessita que os Estados se mobilizem para evitar que essa doença continue a aumentar.

Além da obesidade, a diabetes também é um grande problema. Em 2014 foram contabilizados 422 milhões de pessoas diabéticas no mundo. É uma doença perigosa e uma das maiores responsáveis pela morte de pessoas. É uma doença que surge, geralmente, a partir do consumo excessivo de açúcar. Por isso, diminuir seu consumo é extremamente importante para evitar esse tipo de doença e melhorar a qualidade de vida.

Camilla dos Santos Batista


Nova pesquisa afirma que redução do açúcar em nove dias pode melhorar a saúde.

Um dos alimentos comumente consumido e que gera danos irreparáveis no corpo humano é o açúcar. De acordo com informações de pesquisadores, após um novo estudo, cortar o consumo de áçucar durante nove dias pode proporcionar uma vida mais saudavél para as pessoas. Os resultados do estudo vieram por meio de um monitoramento de crianças obesas. Essas que após ser tirado o açúcar de suas alimentações, tiveram uma redução da pressão arterial e ainda dos índices de colesterol. Com isso, os cientistas reponsáveis pela pesquisa notaram que o produto se tornou prejudicial, não apenas por causa de suas calorias, mas também por causar alterações únicas no organismo de quem o consome.

A pesquisa foi feita no hospital infantil da Universidade da Califórnia, em São Francisco, nos Estados Unidos. Ao todo, foram monitoradas 43 crianças e jovens com idades entre 9 e 18 anos. Essas pessoas foram buscar ajuda no hospital para tratar o peso e, também, por motivos de problemas de saúde gerado por causa da obesidade. Durante o estudo, esses jovens e crianças foram submetidos a ficarem na clínica, no período de 9 dias, recebendo alimentos preparados pelo local e sendo pesados diariamente. A adição de açúcar nas dietas dos monitorados foi reduzida de 28% para 10% e a frutose, considerado um açúcar problemático, sofreu uma redução de 12% para 4% de calorias. Na fase de monitoramento, os cientistas substituíram todos os alimentos açucarados por alimentos ricos em amido, exemplo: cachorros quentes, batatas fritas e pizzas.

No fim do monitoramento, segundo os pequisadores, a saúde dos envolvidos melhorou bastante. Os pacientes mostraram uma pressão arterial mais adequada, o "mau" colesterol e os triglicérides reduziram e ainda os níveis de insulina foram diminuídos em um terço. E mais, os resultados dos testes de funcionamento do fígado tiveram ótimos resultados.

A pesquisa foi conduzida pelo endocrinologista pediátrico americano Robert Lustig. O médico também é autor do livro "Fat Chance: a verdade escondida sobre o açúcar".

Stephanie Rodrigues do Nascimento





CONTINUE NAVEGANDO: